.

Edição 19 - No.1/2009
| Stora Enso

Os melhores cavacos do mundo?

Quando chegou o momento de modernizar o pátio de madeira da fábrica de Varkaus, não era cedo demais.  O equipamento antigo foi substituído pela mais recente tecnologia da ANDRITZ, com resultados extraordinários.  “Agora, talvez tenhamos os melhores cavacos do mundo”, afirma o superintendente de produção da fábrica de celulose.

“Recebemos uma grande melhoria de eficiência com um investimento único.”
Ville Varis, Diretor de Produção da Fábrica de Celulose na fábrica de Varkaus da Stora Enso  

(Da esquerda para a direita) Jouni Hiltunen, Superintendente de Produção, Pekka Kokko, Engenheiro-Chefe do Pátio de Madeira da ANDRITZ, e Ville Varis, Diretor de Produção da Fábrica de Celulose, supervisio-nam uma das linhas de descascamento.

O pátio de madeira da ANDRITZ em Varkaus consiste em uma operação com descascamento de duas linhas, picagem e peneiramento.  A capacidade para madeiras de fibras longas é de 350 m3 sólidos com casca/hora, e a capacidade para madeiras de fibras curtas é de 250 m3 sólidos com casca/hora.

As raízes da fábrica em Varkaus na Finlândia remontam a 1830.  A produção de celulose inclui ECF a cerca de 225.000 t/a, TMP a cerca de 250.000 t/a, e de fibras recicladas a cerca de 100.000 t/a.  Até recentemente, o pátio de madeira lutava para manter a produção de cavacos para as linhas de TMP e Kraft, além de processar as cascas para a caldeira de força.  

“A parte mais antiga de nosso pátio de madeira foi instalada na década de 1950”, conta Ville Varis, Diretor de Produção da fábrica de celulose.  “Embora tenhamos conseguido fazer alguns pequenos investimentos para reformar parte da unidade usando a tecnologia das décadas de 1970-1980, os equipamentos estavam, basicamente, no fim de suas vidas úteis.”

top Alto risco

“Estávamos tendo muitas paradas para rea-lizar reparos”, explica Varis, “e havia o risco de que a produção de papel fosse prejudicada.”  A Varkaus também foi a última fábrica do Grupo a operar sem um sistema de degelo de toras. “Toras congeladas não são descascadas de forma adequada”, diz Jouni Hiltunen , Superintendente de Produção da fábrica de celulose . “Encontrávamos marcas escuras no papel durante o inverno por causa do descascamento ruim.” A distribuição de tamanho dos cavacos variava bastante, para dizer o mínimo.  “Havia muita variação de tamanho, o que afetava nossa linha de fibras”, explica Hiltunen. “E tínhamos até 3% em perdas de madeira apenas no processo de peneiramento de cavacos.”    

Em resumo, o pátio de madeira tinha se tornado um potencial de alto risco.  “Estávamos suportando da melhor forma possível”, conta Varis, “mas sabíamos que seriam necessários investimentos de porte nos dois anos seguintes somente para reparar os equipamentos antigos do pátio de madeira.”

A diretoria da Stora Enso aprovou o investimento para um novo pátio de madeira em março de 2006.  Os equipamentos principais foram adquiridos da ANDRITZ em junho daquele ano.  

“Passamos por muitas inovações junto com a ANDRITZ”, afirma Varis.  A fábrica Varkaus é o local de instalação do primeiro tambor descascador acionado por fricção, da primeira peneira rotativa, do desenvolvimento do sistema de degelo, do teste do primeiro picador, do primeiro sistema de branqueamento por deslocamento e do primeiro sistema de evaporação de efluentes Zedivap® .

top A tendência é ser pequeno

Por que a ANDRITZ?  “Eles garantiam as menores perdas de madeira”, diz Varis.  “Visitamos uma instalação de referência em Joutseno que foi bastante convincente.  Eles demonstraram que podiam controlar com precisão a qualidade dos cavacos à medida que as condições mudavam.  Nós realmente queríamos um nível de flexibilidade assim em Varkaus.”

Essa flexibilidade é especialmente importante por causa das recentes tendências de colheita da madeira.  “Devido aos pesados impostos de exportação para toras brutas da Rússia”, conta Varis, “estávamos em busca de uma virada drástica para tamanhos menores de troncos na Finlândia.  “Há uma grande proporção de primeiros desbastes, madeira jovem e troncos de pequeno diâmetro, em geral.  São necessários mais troncos - e mais descascamento - para atingir apenas o mesmo volume de produção.”

top De desgastado para deslumbrante

O trabalho de construção no local começou em 31 de julho de 2006.  “Trabalhamos durante um inverno frio na Finlândia”, diz Varis.  “Pode-se imaginar os desafios de realizar uma cons-trução civil em solo congelado!”  A ANDRITZ começou a instalar o maquinário principal em março de 2007. O comissionamento iniciou em agosto e o start-up em 7 de setembro de 2007, conforme o cronograma acertado. O pátio de madeira de Varkaus representa as tecnologias mais modernas e eficientes de processamento de madeira para climas frios, segundo Pekka Kokko, Engenheiro-Chefe da área de Processamento de Madeira da ANDRITZ.  Há uma unidade de descascamento de duas linhas com degelo (PowerFeed™), dois HHQ-Chippers™ grandes, sistemas de separação e peneiramento de cavacos JetScreen™ e analisadores de qualidade dos cavacos ChipScan™.  A capacidade para madeiras de fibras longas é de 350 m3 sólidos com casca/hora, e a capacidade para madeiras de fibras curtas é de 250 m3 3 sólidos com casca/hora.

Os troncos de abeto (spruce) vão diretamente para a serraria adjacente.  Os cavacos da serraria vão para a linha TMP junto com os cavacos de madeira de abeto processados no sistema ANDRITZ.  As cascas da serraria são misturadas com as cascas do pátio de madeira e vão para a caldeira de força.  A madeira para produção segue para o sistema ANDRITZ da linha Kraft.  O digestor de 800 t/d alterna com bastante frequência entre fibras curtas (hardwood) e fibras longas (pinho e abeto à proporção de 80/20), com uma campanha que dura de meio dia a dois dias.
“Uma das minhas preocupações antes do projeto era a de que melhoraríamos a qualidade dos cavacos, mas o tamanho dos cavacos seria grande demais” conta Varis.  Não foi esse o caso.  “Controlamos gradualmente o tamanho dos cavacos de 28 para 30 para 32 mm em um ano.  Estamos obtendo cozimentos melhores no digestor, com menos rejeitos.”
“Um benefício colateral da tecnologia de descascamento seco da ANDRITZ é que a qualidade de combustível (casca) da caldeira de força melhorou significativamente” diz Hiltunen.  “Tivemos uma redução de 60% nas águas residuais do pátio de madeira e uma redução enorme de fósforo e  DQO.”

top Melhorias imensas de eficiência

Com o pátio de madeira totalmente ope-racional em novembro de 2007, a fábrica Varkaus começou a ver resultados de ime-diato.  “Tivemos uma grande melhoria de eficiência com um investimento único”, afirma Varis.  “Quando vim para esta fábrica em 1999, 55 pessoas trabalhavam no manuseio da madeira.  Hoje, são 13. Um segundo ponto é que testemunhamos uma redução drástica dos custos de manutenção.  Em terceiro, as economias resultantes de melhorias na eficiência dos materiais (perdas de madeira reduzidas, maior produção da polpação química, etc.) são substanciais .”

“Usamos o analisador ChipScan™  no processo para obter dados precisos sobre o comprimento, espessura e variabilidade dos cavacos”, explica Hiltunen.  “Antes de adotarmos o sistema ANDRITZ, nossa distribuição era 50 a 62% no tamanho ideal de cavacos aceitos e cerca de 20% no menor tamanho de cavaco aceito.  Agora estamos conseguindo um

tamanho de cavaco ideal 80% do tempo e apenas 10% de aceites pequenos.  Enquanto isso, reduzimos os cavacos subdimensionados e os finos de 9% para 1,8% e nossas perdas de peneiramento são cerca de 1/10 do que tínhamos no sistema antigo.  São resultados bastante extraordinários.”

Hiltunen foi extremamente positivo em relação às tecnologias no pátio de madeira.  “A alimentação do PowerFeed™  transporta os feixes de toras ao tambor descascador sem obstruções em qualquer condição climática”, diz ele.  “Há um degelo eficiente e o baixo grau de abastecimento no tambor resulta em forças de massa menores e reduz nossas perdas de madeira. As cascas e a areia são removidas com eficiência. O JetScreen™  facilita a otimização da qualidade de cavacos para o digestor.  A qualidade dos cavacos é ajustada simplesmente pela regulagem da pressão do ar.  A peneira não sobrecarrega (overflow) durante os períodos de sobrecarga.  O HQ-Sizer converte cerca de 80% dos cavacos com excesso de espessura e sobredimensionados em aceites.”

top Cavacos melhores, polpa melhor

“Há uma melhoria bastante clara na operação da linha de fibras após o start-up do novo pátio de madeira”, afirma Varis.  “Levou algum tempo para ajustarmos o processo para o tamanho maior de cavacos e a proporção maior de cavacos ideais - e ainda estamos melhorando-o a cada semana.”

O gargalo da linha de fibras era o sistema de alimentação de cavacos , principalmente com madeiras de fibras longas.  Assim, durante o desligamento de duas semanas em novembro de 2007, a ANDRITZ instalou um silo de cavacos Diamondback® e um sistema de alimentação de cavacos TurboFeed® no digestor de Varkaus.    

“Após a reativação da linha de fibras em dezembro, ficamos muito contentes por não termos mais um gargalo na alimentação de cavacos”, diz Varis.  “É difícil dizer quanto benefício estamos obtendo da qualidade dos cavacos e quanto estamos obtendo da pré-impregnação de vapor e alimentação.  Porém, posso dizer que janeiro e fevereiro de 2008 foram dois de nossos melhores meses para a produção desde que estou nesta fábrica.  Em geral, os meses de inverno são muito difíceis para nós, mas a melhor qualidade dos cavacos e o novo sistema de alimentação têm sido excelentes.”

O esturjão tem estado sob  uma pressão cerrada de pesca pelas ovas da fêmea e sua carne.  A Carelian Caviar Oy cria esturjões Siberiano e Beluga usando técnicas ambientalmente sustentáveis, que ajudam a proteger o esturjão selvagem, até certo ponto. A criação de peixes em Varkaus recircula o calor da fábrica Varkaus da Stora Enso, mantendo as condições ideais para o esturjão durante todo o ano. Os maiores Belugas podem pesar acima de 1500 kg e viver mais de 100 anos. O caviar dessa espécie é o mais delicado e caro do mundo.  


topo
Pesquisa

Contatos relacionados/ informações